musicoterapia

Quando uma pessoa escuta ou faz música ativa áreas motoras, sensoriais, cognitivas,  linguagem, emocional e associativa, assim gerando resultados terapêuticos. 

Cabe ao musicoterapeuta saber como utilizar então a música e seus elementos para ativar as áreas do cérebro respectivas aos objetivos traçados com o paciente, sendo esses dentro de um atendimento individual (objetivos específicos da musicoterapia) como também a utilização da música para intensificar os resultados de outras terapias como fisioterapia, terapia ocupacional, fonoaudiologia, psicologia, arteterapia, etc...

Alguns dos objetivos específicos da Musicoterapia:

 

  • Estabelecer um canal de comunicação não verbal e uma ponte para comunicação verbal e/ou alternativa;

  • Dar sentido a auto-expressão e formação do ISO (Identidade Sonora Musical);

  • Explorar vários aspectos do “eu” na relação com os outros, através do fazer musical;

  • Desenvolver a criatividade, a liberdade de expressão, a espontaneidade e capacidade lúdica musical;

  • Estimular e desenvolver os sentidos auditivos e táteis, através da audição de músicas e vibração;

  • Desenvolver habilidades perceptivas e cognitivas;

  • Promover a receptividade;

  • Evocar respostas sonoras corporais específicas tais como bater palma;

  • Desenvolver habilidades áudio-motoras, como se voltar em direção a origem do som;

  • Desenvolver habilidades sensório-motoras como relaxamento;

  • Promover comportamento ritmado e adaptação, quando este toca um instrumento;

  • Melhorar a atenção e memória musical;

  • Promover a identificação e a empatia através da comunicação não verbal, entre outros.

“Musicoterapia é a utilização da música e/ou seus elementos (som, ritmo, melodia e harmonia), por um musicoterapeuta qualificado, com um cliente ou grupo, em um processo destinado a facilitar e promover comunicação, relacionamento, aprendizado, mobilização, expressão, organização e outros objetivos terapêuticos relevantes, a fim de atender às necessidades físicas, mentais, sociais e cognitivas. Buscando desenvolver potenciais e/ou restaurar funções do indivíduo para que ele ou ela alcance uma melhor organização intra e/ou interpessoal e, consequentemente, uma melhor qualidade de vida, através da prevenção, reabilitação ou tratamento." (Federação Mundial de Musicoterapia)